Publicidade

Posts com a Tag Gustavo Borges

terça-feira, 15 de maio de 2012 curiosidades, natação | 13:00

Swimming Hall of Fame: esqueceram de nós

Compartilhe: Twitter

Neste último fim de semana, Gustavo Borges teve a honra de ser homenageado no International Swimming Hall of Fame. A mídia em geral, e o próprio Gustavo, acabaram dizendo que a honraria seria para o segundo brasileiro (a primeira foi Maria Lenk, nomeada em 1988).

Jon e Gustavo: esta dupla deu muita alegria. (divulgação)

Na verdade, mais dois atletas de maratonas aquáticas estão imortalizados no Museu: Igor de Souza e Abilio Couto (ambos de maratonas aquáticas). O espaço é para os esportes aquáticos, condecorando inclusive dirigentes como o atual presidente da FINA, o uruguaio Julio Maglione.

Gustavo Borges, que recebeu a distinção do seu ex-técnico de Michigan, Jon Urbanchek, foi um dos 3 nadadores (de piscina, que fique claro) a serem escolhidos. Ele depois se desculpou pelas redes sociais, mas o erro foi induzido e totalmente compreensível.

De qualquer forma, a escolha foi merecida. Parabéns Gustavo!

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 27 de março de 2012 Campeonato Nacional, curiosidades, natação, Olimpíada, Sem categoria | 19:08

Cai recorde de algoz de Gustavo Borges

Compartilhe: Twitter

Ninguém aqui deve lembrar dele, mas Danyon Loader foi campeão olímpico nos 200m livre em Atlanta-1996, batendo Gustavo Borges, que ficou com a prata. Após uma eliminatória suada, Borges fez uma outra prova na final, pela raia 1. E talvez esta distância do neozelandês que o fez perder a prova, pois nos últimos 50m não estava vendo seu adversário.

Matthew Stanley conseguiu este feito e também levou os 400m livre. Como tem apenas 20 anos, é bom ficar de olho…

Vamos rever a prova de 1996?

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 18 de outubro de 2011 Finais, Pan 2011 | 23:27

Joanna brilha, Thiago belisca e cai recorde de Gustavo Borges

Compartilhe: Twitter

Os Frasers, Brett e Shaune: irmão, companheiros de treino e adversários. Foto: AP

Ele sobreviveu à era dos maiôs tecnológicos, talvez o único ou um dos poucos, mas não resisitiu aos irmãos Fraser. Brett chegou na frente com a nova marca de 1:47.18, na final em que os 3 primeiros marcaram tempo inferior ao ex-recorde de Gustavo Borges, que vinha de Mar del Plata-95. Um ano depois, já em Atlanta, Borges ficaria com a prata olímpica nos 200m livre. Shaune Fraser, que já tinha o bronze dos 100m livre, fez a inédita dobradinha para as Ilhas Caimãs. O brasileiro André Schultz acabou em 7o.

Joanna Maranhão: este dedo, positivo; outro, sentiu a forte chegada. Foto: Vipcomm

Joanna Maranhão saiu bem nos 200m medley, confiante com seus resultados anteriores, e pegou mais uma medalha, esta de bronze. A americana Smit e a jamaicana Atkinson chegaram na sua frente. Ela teve tanta gana de ganhar uma medalha depois da Depois, Joanna ainda iria ajudar (bem) o revezamento 4x200m livre a pegar a prata, chegando atrás apenas dos EUA que bateu novo recorde do campeonato. Completaram nossa equipe Jessica Cavalheiro, Manuella Lyrio e Tatiana Barbosa.

Thiago Pereira: muitas medalhas, muito cansaço. Foto: Vipcomm

Thiago Pereira saiu bem nos 200m peito, confiante com seus resultados anteriores, e pegou mais uma medalha, esta de bronze. Epa, eu já escrevi isso… Mas na verdade a semelhança entre estes dois nadadores existe. Ambos treinam medley e, portanto, são “coringas” – nadam várias provas. Os americanos Mahoney (este bateu o recorde do campeonato) e Burckle fizeram mais uma dobradinha americana. Antes, outros dois americanos chegaram em 1o. e 2o. nos 1500m livre, na prova em que Lucas Kanieski acabou em 5o.

A equipe brasileira comemora mais uma medalha

Não vamos perder as contas. Na natação, Brasil com 15 medalhas (6-5-4), atrás apenas dos EUA (26 (12-10-4). Amanhã, digo, hoje, tem mais!

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 14 de outubro de 2011 natação, Organização, Pan 2011 | 22:42

Tudo pronto… ou quase

Compartilhe: Twitter

Todo mundo fazendo seus ajustes finais no Centro Aquático Scotiabank, inclusive alguns trabalhadores colocando as câmaras de chegada. Para quem não sabe para que elas servem, foram as mesmas que confirmaram a prata olímpica de Gustavo Borges em Barcelona – 92. Enquanto o placar eletrônico deu pane, as câmaras foram requisitadas para retirá-lo da pior posição (4o.) para a segunda.

Tudo de última hora, você já viu este filme e verá muito mais. (crédito: Alexandre Pussieldi)

Filas enormes para comidas com suspeita de esteróides, goteiras no refeitório e ginásios, blocos com polêmica novamente, fazem parte da rotina final dos nadadores. Mas as declarações deixam claro que os mesmos estão concentrados e confiantes em bons resultados.

E enquanto quase todos os atletas se preparam para a abertura, os nadadores, uma vez mais, devem ficar concentrados pois as suas provas começam amanhã. Mesmo os que não participam das primeiras etapas são solidários (bem, claro que às vezes uma solidariedade meio forçada) e ficam descansando na vila. Boa sorte a todos!

Guido, Cielo e Mangabeira: relaxar é preciso. (reprodução/twitter)

As provas de amanhã e os brasileiros:

100m borboleta F (Daynara de Paula e Gabriella Silva)
400m medley M (Thiago Pereira e Diogo Yabe)
400m medley F (Joanna Maranhão e Larissa Cieslak)
400m livre M (Lucas Kanieski e Giuliano Rocco)
4x100m livre F

Michele Lenhardt, Tatiana Lemos, Flavia Delaroli e Daynara de Paula: em busca do inédito ouro para a natação feminina.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 7 de outubro de 2011 Pan 2011 - equipe | 20:27

Media Guide

Compartilhe: Twitter

Vale a pena! Está disponível o Media Guide da seleção brasileira do Pan. Já havia colocado o link do mesmo exemplar relativo às últimas Olimpíadas.

Agora, o COB coloca o seu Guia para Imprensa com informações bem bacanas sobre a delegação, incluindo alguns dirigentes. Além disso, faz um panorama sobre a participação brasileira nos Jogos Pan-americanos.

E a natação aparece com bastante destaque. Tem 4 entre os 9 que mais ganharam medalhas (Gustavo Borges como líder absoluto com suas 19) e disputa com o tênis de mesa (3 x 2) entre os 5 atletas que mais ouro conquistaram (Thiago Pereira pode destronar Hugo Hoyama – ambos estarão em Guadalajara). Apesar de ser a modalidade que mais medalhas conquistou no Rio/2007, ela ainda está atrás do atletismo na contagem geral (137 a 134, outro placar que pode mudar no México).

Como bônus, e para quem gosta, segue outro link. Este é da LEN Magazine, revista européia especializada em esportes aquáticos. Formato totalmente digital e amigável e, o melhor de tudo, di grátis!

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 27 de setembro de 2011 Pan 2011 - nadadores | 21:26

Cesar Cielo – O Melhor

Compartilhe: Twitter

Crianças, não tentem isso com seu peito em casa. Cielo é um profissional.

Cesar Augusto Cielo Filho (mais ítalo-romano, difícil) é o cara. Fiquei pensando no que escrever sobre nosso maior destaque da natação, um dos maiores do esporte brasileiro (temos o futebol). Tudo já foi dito, falado, comentado, especulado sobre Cielo.

Pois bem, resolvi contar apenas pequenos dois episódios. Um é numa competição em Santos, antes da seleção ir para Atenas (minha memória nem os arquivos de resultados da CBDA me deixam lembrar ao certo). Nela, o comentário de Gustavo Borges quanto ao futuro de Cielo já estava claro. O comentário de Gustavo foi mais ou menos neste tom: “O linguição ali fica me dando p* no treino“. O apelido não pegou, mas a gana de vencer já vinha desde os treinos com o maior ídolo da época. Saindo da pequena Santa Bárbara D´Oeste (SP), Cielo sabia o que queria, e foi procurar o maior e melhor grupo de velocistas do mundo na Universidade de Auburn.

O resto já é história: tornou-se multi-campeão da campeonato universitário americano, que culminou com sua vitória olímpica nos 50m livre em Pequim 2008.

Mas antes deste ouro inédito vem o outro episódio. Como amante do esporte, ficava enganando o sono para assistir às finais no horário cruel que o fuso horário chinês nos impunha. Final dos 100m livre. Prova que já deu ao mundo um Tarzan (Johnny Weissmuller), o maior vencedor de uma olímpiada (Mark Spitz, até Phelps…), outro que quase igualou Spitz (Matt Biondi) e um russo que igualou o feito de ser bi-campeão olímpico nesta prova (Alexander Popov). Pois bem, nosso Cielo conseguiu entrar na grande final em 8o., vendo seus futuros oponentes nos 50m livre (sua especialidade) baterem recorde atrás de recorde. Não é que ele saiu com o bronze? Já estava emocionado com este resultado, mas fiquei ainda mais com a declaração, natural, do choroso medalhista dizendo que iria atrás do ouro nos 50m.

Cabe, neste momento, explicar qual era o cenário. O ano de 2008 foi pródigo em recordes mundiais. Quem bateu? A brincadeira da época era falar o nome do maiô, e não dos nadadores… Nada menos que 108 recordes foram quebrados ao longo daquele ano! Seus maiores adversários (Eamon Sullivan e Fred Bousquet) haviam abaixado 4 vezes a prova mais rápida da natação mundial – e estavam em Pequim. E não é que o brasileiro foi lá e saiu com a dourada? Demais, não?

Muita coisa se passou desde então: vitórias e recordes mundiais, mudança para o Brasil para treinar direto com Alberto Silva, Pro16, patrocínios, doping, maiô rasgado, fofocas, volta por cima e agora: Guadalajara 2011!

Bem, nada mais a declarar, o cara é… o cara.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 Doping, natação | 22:23

DOPING, O LEGADO PARA RIO 2016?

Compartilhe: Twitter

Desde a minha primeira experiência olímpica, tive a frustração de ver que o esporte, ou o espírito olímpico, não é respeitado. Em Seul 1988 tivemos o auge dos Jogos na disputa dos 100m rasos entre o canadense/jamaicano (desde aquela época a pequena ilha já brilhava) Ben Johnson e o americano Carl Lewis. Foi quase uma humilhação…

Dois dias depois (porque o resultado demora tanto hoje em dia????), sai o resultado positivo do canadense. Ai que humilhação…

Mas as suspeitas de doping não ficaram apenas nas pistas de atletismo. Eram as primeiras olimpíadas depois dos boicotes de Moscou e Los Angeles. Quem é melhor? EUA ou URSS? Leste ou Oeste? E esta rivalidade também foi para as piscinas coreanas.

Kristin Otto, alemã - oriental - saiu com 6 ouros de Seul (Getty)

A natação feminina (?) alemã brilhou e apenas 3 nadadoras não oriundas da Alemanha Oriental ganharam o ouro olímpico. Anos mais tarde, já no Mundial de 1994, em Roma, o domínio foi ainda maior, agora da China. As chinesas perderam apenas duas provas para a australiana Samantha Riley (que antes do Mundial do Rio 95 acabou também se envolvendo com suspeita de doping).

Mas este era um problema só de fora, certo? Errado. O Brasil tem o recorde de nadadores pegos em doping nos últimos anos. Mais uma mera coincidência? E os casos deste ano são ainda mais emblemáticos, com um campeão olímpico e uma experiente atleta. Qual o significado disso? Ninguém está imune. Hoje as substâncias surgem com uma velocidade impressionante. O cuidado deve ser redobrado – até neurótico.

Para subir ao pódium, Gustavo Borges teve que duvidar de tudo

Lembro em Atlanta 1996 quando Gustavo Borges simplesmente não tomava água de garrafa aberta. Naquele momento achei exagero, mas hoje entendo que a precaução era melhor do que se ver privado de duas medalhas olímpicas por um pequeno descuido. Sabotagem? Porque não?

A neura passa agora para acusaçao indiscriminada de tudo e todos. Não penso assim, mas concordo que a geração twitter quer tudo rápido demais e às vezes lança mão de artifícios para chegar a um resultado mais rapidamente. Ou tem muita gente disposta a treinar (mesmo) 6 horas por dia aí para representar o Brasil no Rio, em 2016?

Como o assunto é extenso, espero colaborações para poder comentar um pouco mais.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sábado, 10 de setembro de 2011 Pan 2011 - nadadores | 12:05

Medalha, medalha, medalha

Compartilhe: Twitter

O que eu e Muttley temos em comum?

Thiago Pereira (link para blog oficial, mas não atualizado…), ja detém 10 medalhas nas suas duas participações em Jogos Panamericanos, tendo já estabelecido o recorde de medalhas em uma mesma edição com as suas 8 no Pan do rio-2007 (6 douradas).  Mas ele quer mais…

Em Guadalajara vai atrás de mais dois recordes: bater Gustavo Borges como o maior medalhista brasileiro e Hugo Hoyama no quesito ouros. De quebra, mas não apenas com seu desempenho, devem colocar a natação como a que mais contribuiu no quadro de medalhas do Brasil.

É possível? Sim. Podendo nadar até 9 provas, Thiago amadureceu muito desde sua estreia em Santo Domingo 2003, quando conquistou uma prata e um bronze. Além disso, já demonstrou que aguenta a verdadeira maratona que é estar em todas estas finais, algo que dois de seus adversários (Phelps e Lochte) também fazem.

Então é isso, torcer para mais medalhas: Vai Thiagooooo!

Rose Vilela, a mãe vai com sua torcida inconfundível

Autor: Tags: , , , , , ,